SMDAY: DIA MUNDIAL DAS REDES SOCIAIS!

Advertisements

Bom dia, vaidoso’s 😉 o que vão fazer neste domingo?

Sabiam que hoje, 30 de Junho, comemora-se o Dia Mundial das Redes Sociais? É verdade, inevitavelmente, o artigo de hoje é dedicado a estes “bichinhos” que nos deixam agarrados e colados aos ecrãs dos smartphones, pc’s e tablets? 😉

Acredito que, uma das primeiras coisas que fazemos ao acordar é agarramos no smartphone e abrir as redes sociais. Estou certo?

No meu caso, depois de preparar o café da manhã, agarro logo no smartphone e ver o que há de novo nas redes sociais, as principais, instagram e facebook. Eventualmente, o email e depois passando para uma notícia ou outra. Acontece o mesmo convosco?

Portugal é o terceiro país europeu que mais usa as redes sociais e, segundo um estudo da Marketest, 4,1 milhões de portugueses têm um perfil online. Os dados de 2013 sobre a utilização das redes sociais são, surpreendentemente reveladores.

Com o rápidos avanço das tecnologias e do mundo da internet, as redes sociais são, na verdade, pontos de encontro virtuais, a distância ficou para segundas núpcias, a comunicação é instantânea e todos podemos estar ligados.

Verdade seja dita, as redes sociais trouxeram muita coisa boa, a possibilidade de pessoas manterem o contacto, de forma simples e rápida, mesmo estando no outro canto do mundo. No entanto, também trazem o reverso da medalha.

Para Catarina Lucas, Psicóloga, as Redes Sociais vieram acrescentar um vazio, embora possa parecer contraditório, a socialização das pessoas passou do contacto direto entre as mesmas, sendo substituído pelas conversas nas redes sociais. Por isto, afirma “Isto faz com que, aparentemente estejamos rodeados de pessoas, quando na prática estamos sozinhos e fechados no nosso mundo.” Parando uns breves minutos em silêncio, (como costumo dizer, pensando com os meus botões) esta é uma realidade. Basta analisarmos a quantidade de “amigos” que temos nas redes sociais do facebook e instagram e, na prática, com quantos deles mantemos uma conexão ou socialização física. Certamente, nem um terço delas. Qual a vossa opinião, acerca deste assunto?

De acordo com o ranking apurado pelo estudo Marktest sobre Os Portugueses e as Redes Sociais 2013, colocaram a rede social Facebook (94,6%), YouTube (38,9%) e o Google+ (34,1%) no Top 3 das redes sociais mais utilizadas pelos portugueses.

Um relatório desenvolvido no âmbito do World Internet Project (WIP) sobre “A Utilização da Internet em Portugal – Relatório de 2010” concluem que:

 

Poderás ler mais sobre estes dados aqui. Muito haverá a dizer sobre as vantagens e desvantagens sobre o uso das redes sociais, na minha opinião, quando utilizadas da melhor forma, elas permitem-nos estar mais próximos e conectados com as pessoas que nos são mais queridas.

Nestas redes surgem uma panóplia de informações e coisas sem o mínimo interesse, é preciso muito cuidado e bom senso na utilização das redes sociais, não permitindo que situações menos positivas nos afectem ou condicionem a nossa vida. Porém, as redes sociais são igualmente ferramentas, que quando bem utilizadas e geridas, nos poderão trazer muitas coisas boas, momentos e lições de vida inesquecíveis.

Afinal, porque gostamos tanto das redes sociais. O que pensas acerca deste assunto?

A Justiça, já chegou a tua casa?

Advertisements

Fonte da imagem: retirada da internet.

A descoberta é recente e aqui o +vaidoso considera-a, sem dúvida, uma ótima notícia.

Finalmente, a Justiça chega a nossa casa, através da Internet. Para quem ainda não se deu conta, já se encontra online a Plataforma Digital da Justiça. Insere-se no Plano de Ação, Modernização e Transformação da Justiça e, segundo a tutela, tem objetivos de simplificação diversos.

Se até agora, tínhamos que perder horas a fio nas diversas repartições ou entidades públicas, para tratar de determinados assuntos, descansem que a partir de agora, a vida dos portugueses fica cada vez mais simplificada. Aleluia!

Vejamos agora, alguns dos serviços agregados no site que começam a simplificar-nos a vida: iniciar o processo de casamento, um balcão virtual para divórcios com partilha, a possibilidade de pedir uma certidão de nascimento, uma certidão judicial eletrónica ou mesmo, o registo criminal.

As finanças pessoais são outro assunto que merece a nossa máxima atenção, por isso, na mesma plataforma online, temos a possibilidade de consultar um processo executivo, calcular taxas de justiça para um determinado processo, simular custos associados à compra de habitação ou pedir mediação laboral.

A Plataforma Digital da Justiça coloca-nos à disposição diversos guias, 68 fichas com informação sobre os serviços disponíveis de áreas que integram o pelouro da justiça, organizados igualmente por temas e áreas concretas como tribunais, registos, reinserção e serviços prisionais, propriedade industrial ou medicina legal.

A fase de testes arrancou no final de agosto e deverá prolongar-se até 2019. No futuro, a plataforma continuará a evoluir e a ganhar novos serviços e conteúdos, uma mais valia para todos. Até agora foram investidos neste serviço online 520 mil euros, financiados pelo Fundo para a Modernização da Justiça. Sinceramente, considero que este é um passo brutal, que visa simplificar ao máximo, a vida de muitos portugueses. Estás de acordo? Já conhecias esta plataforma?

A Justiça, já chegou a tua casa?

Advertisements

Fonte da imagem: retirada da internet.

A descoberta é recente e aqui o +vaidoso considera-a, sem dúvida, uma ótima notícia.

Finalmente, a Justiça chega a nossa casa, através da Internet. Para quem ainda não se deu conta, já se encontra online a Plataforma Digital da Justiça. Insere-se no Plano de Ação, Modernização e Transformação da Justiça e, segundo a tutela, tem objetivos de simplificação diversos.

Se até agora, tínhamos que perder horas a fio nas diversas repartições ou entidades públicas, para tratar de determinados assuntos, descansem que a partir de agora, a vida dos portugueses fica cada vez mais simplificada. Aleluia!

Vejamos agora, alguns dos serviços agregados no site que começam a simplificar-nos a vida: iniciar o processo de casamento, um balcão virtual para divórcios com partilha, a possibilidade de pedir uma certidão de nascimento, uma certidão judicial eletrónica ou mesmo, o registo criminal.

As finanças pessoais são outro assunto que merece a nossa máxima atenção, por isso, na mesma plataforma online, temos a possibilidade de consultar um processo executivo, calcular taxas de justiça para um determinado processo, simular custos associados à compra de habitação ou pedir mediação laboral.

A Plataforma Digital da Justiça coloca-nos à disposição diversos guias, 68 fichas com informação sobre os serviços disponíveis de áreas que integram o pelouro da justiça, organizados igualmente por temas e áreas concretas como tribunais, registos, reinserção e serviços prisionais, propriedade industrial ou medicina legal.

A fase de testes arrancou no final de agosto e deverá prolongar-se até 2019. No futuro, a plataforma continuará a evoluir e a ganhar novos serviços e conteúdos, uma mais valia para todos. Até agora foram investidos neste serviço online 520 mil euros, financiados pelo Fundo para a Modernização da Justiça. Sinceramente, considero que este é um passo brutal, que visa simplificar ao máximo, a vida de muitos portugueses. Estás de acordo? Já conhecias esta plataforma?